Filme: A Série Divergente – Convergente

A palavra ‘adaptação’ deu entrada no hospital como Divergente, entrou em coma como Insurgente e morreu como Convergente.

Levemente inspirado na obra homônima de Veronica Roth, A Série Divergente – Convergente tem início de onde Insurgente terminou: a população de Chicago caminhando em direção à cerca. Porém, Evelyn (Naomi Watts), a “nova Jeanine”, decide que ninguém passará para o outro lado. Entretanto, Tris (Shailene Woodley), como a boa divergente que não pode ser controlada, quebrará as regras mais uma vez e juntamente com Quatro (Theo James), Caleb (Ansel Elgort), Christina (Zoë Kravitz), Tori (Maggie Q) e Peter (Miles Teller) tentará atravessar os muros da cidade. O mais engraçado é que ninguém perguntou ao Uriah (Keiynan Lonsdale) se ele também queria ir junto. Ao chegar em Marte na terra desconhecida, o grupo é recebido por indivíduos altamente desenvolvidos cientificamente, que os observava por mais de 200 anos. Grande Irmão, Big Brother…

O roteiro de Convergente é mais dinâmico que seu antecessor. Entretanto, isso não significa que seja bom. O longa, além de ser risível para quem leu a obra, apresenta cenas dignas de filme da Sessão da Tarde, por exemplo, quando Tris pilota manualmente um mini helicóptero, Caleb e Christina, que também estão na aeronave, gritam loucamente que vão morrer. O episódio é ridiculamente hilário. Ademais, os efeitos especiais deixam a desejar em um nível estratosférico, aparentando uso do chroma key e edição no paint, no máximo, photoshop.

O livro “Convergente” é narrado tanto por Tris quanto por Quatro, sendo assim, o personagem tem uma maior participação em cena, fazendo com que Tris fique ligeiramente “apagada”. É perceptível uma melhora na performance de Theo James, com base nos filmes anteriores. Shailene Woodley continua maravilhosa. Já a indicada ao Oscar Naomi Watts, não tem emoção alguma. E, para completar, eis Jeff Daniels como o “vilão” David. É tecnicamente impossível levar o ator e o filme a sério.

A música “Scars”, interpretada por Tove Lo e presente nos créditos finais, é maravilhosa. Ouçam!

Sim. Convergente é ruim, desastroso e hilário, mas aquele 1% é 4.

Título original: The Divergent Series: Allegiant
Diretor: Robert Schwentke
Ano: 2016
Duração: 121 min
Distribuidor: Paris Filmes
Elenco: Shailene Woodley, Theo James, Ansel Elgort, Zoë Kravitz, Miles Teller, Naomi Watts

2 estrelas

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s