Filme: Ted Bundy – A Irresistível Face do Mal

♪ You can call me monster¹ ♪

Baseado no livro “The Phantom Prince: My Life with Ted Bundy”, de Elizabeth Kendall, Ted Bundy – A Irresistível Face do Mal (Extremely Wicked, Shockingly Evil and Vile, no original) adapta a história real de Ted Bundy (Zac Efron), serial killer que assassinou mais de trinta mulheres na década de 70, nos Estados Unidos, sob o olhar de Elizabeth “Liz” Kendall (Lily Collins), namorada de longa data de Bundy, que desconhecia suas atrocidades.

A Irresistível Face do Mal é aquele que filme que te deixa curioso para saber qual será o veredito final de Bundy, mesmo se tratando de uma história real. Ok, muitas pessoas desconhecem a história de Ted Bundy e seu desfecho, mas é fato de que seu fim não é positivo para Bundy e muito menos para suas vítimas.

Em todo o caso, o espectador se vê por quase duas horas imerso na lábia de Bundy, enquanto o mesmo nega a todo custo de que seja culpado. “Na lábia de Bundy” vem do fato de que, mesmo sabendo que tal ser cometeu todas aquelas desumanidades, você se questiona se Ted Bundy realmente tem culpa no cartório.

Em contrapartida, a direção de Joe Berlinger, também diretor de Conversando com um Serial Killer: Ted Bundy, é fascinante, assim como as performances de Zac Efron, Lily Collins e John Malkovich. Efron assume de forma “assustadora” a presença “carismática” de Ted Bundy, enquanto Collins transmite com sabedoria a aflição de Liz. Já Malkovich lidera com experiência a representação de Edward Cowart, juiz que presidiu o caso de Bundy.

A trilha sonora do longa é um clássico, com canções como “Crimson and Clover”, de Tommy James, “Don’t Leave Me This Way”, de Thelma Houston e “The Four Horsemen”, do Metallica. Aproveito o gancho para relatar que James Hetfield, vocalista do Metallica, faz uma participação no filme.

Por fim, mas o mais importante, durante uma cena de Ted Bundy – A Irresistível Face do Mal, jovens presentes no tribunal declaram que: “ele também é muito bonito”, “eu não tenho medo dele. Ele não parece o tipo de pessoa que mataria alguém” e “Eu acho que o amo”. É preciso ressaltar, ainda mais nos dias de hoje, e especialmente para nós, mulheres, que beleza não define ninguém e muito menos é sinônimo de caráter, bondade, gentileza e/ou afins.

¹Você pode me chamar de monstro

⭐⭐⭐

Título original: Extremely Wicked, Shockingly Evil and Vile
Diretor: Joe Berlinger
Ano: 2019
Duração: 1h 49min
Distribuidor: Paris Filmes
Elenco: Zac Efron, Lily Collins, Kaya Scodelario, Jim Parsons, John Malkovich

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.